A Escola Madre Anatólia, surgiu com a vinda de três Irmãs Servas de Maria Imaculada, de Prudentópolis à Curitiba, em 1º de março de 1932.
Eram elas: Irmã Rafaela Vanda Rymkiewycz, Irmã Teresa Tecla Katerenhuk e Irmã Jeremia Olga Cheremeta. Vieram sem recursos materiais, mas com muita fé, amor e vontade de se doar em prol da educação de jovens e Crianças, e confiando na bondade de Deus e do povo que as acolheu.
Em 18 de abril de 1938 a Escola recebeu licença para funcionamento sob a denominação de "Educandário Santa Teresinha".
No ano de 1968, a escola passa a chamar-se "Ginásio Madre Anatólia" em homenagem a Irmã Anatólia Bodnar – Supervisora da Congregação das Irmãs Servas no Brasil, ela foi uma pessoa dotada de um carisma especial, sempre dedicando-se gratuitamente para o bem do próximo.
 
 

 
Irmã Anatólia Tecla Bodnar
 
Irmã Anatólia Tecla Bodnar nasceu aos 29 de março de 1884, em Jujel, Ucrânia Ocidental. Batizada com o nome de Tecla, recebeu de seus pais, Gregório e Pelágia, uma sólida educação cristã.
Tecla contava com oito anos de idade quando foi testemunha ocular da fundação em Jujel da Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada. Na qual ingressou em 29 de abril de 1902 adotando o nome de ANATÓLIA.
Ela foi uma das sete Irmãs pioneiras, que chegaram ao Brasil em 1911, consagrando-se totalmente ao bem do próximo e atendendo, com extrema caridade e abnegação aos doentes e abandonados.
Sendo mestra de noviças durante treze anos, contribuiu à formação de um grande número de Irmãs Servas que dão continuidade à obra da congregação nascida na Ucrânia e espalhada na diáspora.
    
   
Exercendo o cargo de Superiora Provincial durante vinte anos, entre inúmeras dificuldades, consolidou a Congregação das Irmãs Servas de Maria Imaculada em terras brasileiras, abrindo seguras perspectivas para o futuro.
Alma de oração e sofrimento, buscava suas forças em Jesus crucificado e presente no Sacramento da Eucaristia, refugiando-se em todos momentos da vida no Seu Sagrado Coração. A Imaculada Mãe de Deus foi seu perene modelo, guia e proteção.
Irmã Anatólia sofreu muito durante toda a sua vida e de modo marcante, nos últimos cinco anos. Acometida de uma gangrena incurável que a deixou presa ao leito de dor durante dois anos, sofria dores atrozes, mas não se lamentava, procurando forças no olhar dirigido continuamente à imagem de Jesus Crucificado. Oferecia tudo pela Igreja, pela salvação das almas e pela Congregação. As Irmãs se revezavam para atendê-la durante o dia e durante a noite. Confortada com os últimos sacramentos e pelas orações do sacerdote e das Irmãs, entregou suavemente sua santa alma a Deus no dia 16 de fevereiro de 1956.Seu doloroso martírio terminou no dia 16 de fevereiro de 1956. Foi sepultada no cemitério da Paróquia de S. Josafat, em Prudentópolis, PR.
Logo que a Irmã Anatólia faleceu, as Irmãs e as pessoas que a conheciam e admiravam, começaram a rezar para que ela intercedesse junto de Deus nas suas necessidades, e recebiam graças. Teve início assim a fama de sua santidade que perdura até hoje. Em vista disso no ano de 1993 o nosso Eparca D. Efraim Krevey, OSBM nomeou um tribunal e foi feita a abertura oficial do processo de sua canonização. Foram ouvidas as testemunhas. Este processo continua aberto e em andamento. Ainda há documentos escritos para terminar de organizar. A fama de sua santidade cresce. Muitas pessoas continuam rezando para a Irmã Anatólia e recebendo graças pela sua intercessão.
Concluindo esta reflexão sobre a nossa amada Serva de Deus Anatólia, agradecemos a todos que já escreveram seus depoimentos agradecendo as graças recebidas. Aos que ainda não escreveram, solicitamos gentilmente que o façam. Insistimos nisso porque é necessário provar no processo que a fama de santidade da Irmã Anatólia está crescendo. Isso é importantíssimo!... Escrevam do jeito que sabem e podem. Tudo vale. Não se preocupem com nada. Vale a simplicidade. Irmã Anatólia agradece. (Enviar para o email: secretaria@escolaanatolia.com.br ou entregar diretamente na secretaria da escola.)
De nada valeria, porém, satisfazer-se somente com a oração e as graças recebidas, o que importa mesmo é procurar imitar a Irmã Anatólia em suas virtudes e buscar a santidade como ela mesma buscou para cumprir a ordem de Cristo: “ Sede perfeitos como o vosso Pai do Céu é perfeito”.
Seu espírito continua vivo entre nós hoje. Seu exemplo de amor concreto ao próximo e de entrega total a Deus e à sua santa vontade atrai todos à imitação.